23/02/2014


Como vi aqui nas estatísticas a postagem que deu mais "BAFAFÁ" foi o Morando sozinha parte 1..
Então vamos continuar, dando dicas e falando um pouco dessa vida!

Alguns perderam os pais, outros mudaram de cidade ou país para estudar. Uns não aguentam mais os pais por perto, outros estão acomodados há mais de 20 anos, dando trabalho, tendo suas cuecas lavadas, pedindo para tomar um pé na bunda. Os cenários variam, os motivos não importam. Morar sozinho é uma arte sem escola.
Existem duas visões do mundo (homem ou mulher) solteiro que mora sozinho. A versão popular foca na liberdade para levar (qualquer garota ou garoto) para casa, fazer festas e bagunça. Não estou dizendo que isso não acontece, porque acontece. A outra visão é bem mais complicada (e ignorada). Somos orgulhosos demais para compartilhar esse tipo de coisa, mas a maior parte do trabalho da vida de um solteiro que mora sozinho é não enlouquecer.

1. Crie princípios
Quando moramos com nossos pais é muito simples seguir na onda, fazer as coisas de qualquer jeito, copiar algumas coisas deles e simplesmente tocar o barco. Quando o boteco é seu, a coisa muda de figura.

Criar princípios claros para como pretende levar sua vida, desde a frequência de arrumar sua casa, receber pessoas, deixar as garotas(o) dormirem por lá, coisas que pretende comprar, prioridade dos gastos (qualidade ou preço), até o que pode ou não ser feito dentro da sua casa por você e por amigos.

Criar princípios claros e simples nos mantêm longe de problemas, diminuem o esforço de manter a casa organizada e acabam com a necessidade de ficar pensando tudo do zero a cada nova decisão.

2. Saiba o que falta
No início da vida solitária, descobrimos que faltam mais coisas na casa e na vida do que poderíamos imaginar. Isso com certeza vai gerar um certo desespero, principalmente quando você não tem todos os móveis, aparelhos domésticos e todo esse aparato a que sempre fomos acostumados na casa dos nossos pais.
Faça uma lista com tudo que você precisar usar ou acabar sentindo falta, mesmo que seja algo pequeno e que tenha precisado apenas uma vez na vida. Adicione absolutamente tudo nessa lista, de tapete para o banheiro até o PlayStation 3. Divida a lista em colunas de prioridade e pelo menos uma vez por mês, de acordo com a sua disponibilidade financeira, mate um item da lista. Pode demorar, mas isso vai fazer tudo ir ficando mais confortável.

3. Tenha um plano
Essencial saber o que você quer construir. Tenha um plano claro das possibilidades divididades em “básico”, “confortável”, “ideal”. Detalhe em forma de itens tudo que precisa para viver em cada uma das realidades, desde o valor do aluguel, tipos de apartamento, velocidades de conexão de internet, tipo de cama e colchão, eletrônicos, móveis, roupas… Crie uma lista para cada um dos caminhos a trilhar.
Se souber quanto custa viver em cada uma das situações, saberá quanto dinheiro falta para alcançar o novo patamar, o que normalmente acaba impulsionando uma onda empreendedora criativa.

4. Sua casa é sagrada
Muita gente se deslumbra com a liberdade e acaba deixando que a casa vire uma zona completa onde todos fazem de tudo. Por mais que você até faça uso , tente evitar o uso de drogas ilícitas dentro de sua casa. Evite bagunças exageradas, barulho excessivo depois das 22h e respeite as reclamações dos vizinhos.
Por mais que a maioria dos jovens queira dizer que não devem nada a ninguém, mantenha uma boa postura em sua vizinhança – em uma emergência qualquer é importante poder contar com eles.

6. Não beba todos os dias
Agora começa a parte séria do assunto. Quase todos os jovens que conheço e moram sozinho sofrem algum tipo de processo depressivo. Como disse no começo, tentar não enlouquecer é uma arte nesse negócio de morar sozinho. Normalmente você vai acabar tentando afogar os problemas em uma cervejinha, vai virar uma garrafa de vodka, depois um whisky… e aí o alcoolismo bate.

7. Cuide da bagunça
Você vai negligenciar a limpeza, eu sei disso. No começo é complicadíssimo manter tudo limpo todos os dias. Ainda mais se não estiver disposto a pagar uma diarista. Sua casa vai virar um buraco, é sério! Tire 30 minutos do dia. Logo que você chega em casa depois do trabalho ou da aula, simplesmente organize as coisas, coloque tudo no lugar. Tire as roupas do sofá, os sapatos do meio do caminho e lave a roupa suja. Faça todo dia uma pequena arrumação e então tire um dia da semana que for livre para uma boa faxina.

8. Seja profissional e tenha bons amigos
Independente da sua área de atuação, se você não for um funcionário publico que mama no governo, você tem que se preocupar em manter o dinheiro aparecendo todo mês, fato.Quando moramos sozinho e não temos uma possibilidade de ajuda, é bom tratar de ser o melhor profissional possível. E sim, a maior rede de contatos para onde correr quando algo der errado.

9. Gaste dinheiro para economizar dinheiro
Entender esse ponto de vista mudou completamente a forma com que a vida sozinha funciona dentro de casa. Comprar um videogame pode ser um gasto grande a princípio, mas pode manter você muito mais noites dentro de casa, evitando que gaste dinheiro com baladas e outras saídas.
Televisão, seriados, jogos mantêm você em casa. Se você não sai, não gasta dinheiro! E mesmo quando você já estiver sem grana, ficar em casa não vai ser tão depressivo quanto se você não tivesse absolutamente nada para fazer

10. Cultive uma boa relação com a solidão
Vejo amigos pensando em morar sozinho, tentando sair a todo custo da casa dos pais, mas sem saber direito o que é que espera do lado de fora. Já meus amigos que estão morando sozinho, independente do estado em que se encontram, se queixam de solidão e mesmo os que fazem fila de garotas reclamam do vazio que sentem. Ontem conversando com um conhecido, ouvi:

“Meus pais quase não ficam em casa… É igual morar sozinho, não?”

Não.
Às vezes, quanto maior a quantidade de garotas com quem nos relacionamos, mais vazios nos sentimos. De sentir vontade de chorar naquela quarta às duas da manhã sozinho na cama. Os amigos tentam usar nossa casa de motel e precisamos de muito jogo de cintura para saber dizer não. As garotas nos tratam diferente porque somos o “homem independente” que mora sozinho e temos de ser prudentes o suficiente para saber manter uma boa postura diante de tudo novo que aparece.
Postar um comentário

Fan Page

Quem sou eu

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

Visualizações

Instagram

Seguidores

Translate